Em tempos distintos, Atlético vence o Coritiba por 1 a 0 e se aproxima da liderança

Reprodução: Twitter

Primeiro tempo com amplo domínio do Atlético. Uma segunda parte que o Galo entrou desligado e não conseguiu impor o seu jogo. No entanto, a boa atuação da primeira etapa prevaleceu e o gol de Eduardo Sasha deu mais 3 pontos para o time alvinegro.

Com a vitória por 1 a 0 sobre o Coritiba, neste domingo, 06, no Couto Pereira, o Atlético venceu a 2ª partida fora de casa no Brasileirão 2020 e alcançou a 3ª posição no campeonato, 1 ponto atrás do São Paulo e dois do líder Internacional.

Vale ressaltar que o Atlético tem um jogo a menos que os dois concorrentes. Sendo assim, o Galo tem 71,4% de aproveitamento dos pontos disputados, sendo o melhor time do Campeonato Brasileiro neste quesito.

Mas a partida deste domingo não foi tão fácil como aparentava. O Galo dominou a 1ª etapa e não deixou o Coritiba chegar no ataque. A distinção dos tempos aconteceu após o intervalo. Os comandados de Jorginho mudaram de postura no 2º tempo e o Atlético não conseguiu ter a posse da bola e nem finalizar mais que o adversário, como de costume.

Enquanto o Atlético dominava, Jair e Allan rodavam bastante a bola e encontravam Savarino e Keno com maior liberdade. Os pontas até conseguiram criar boas chances, mas no segundo tempo erraram mais do que o normal. Keno fez diversas jogadas individuais, mas bateu fraco na hora dos arremates.

É válido utilizar o 1º tempo desta vitória para ilustrar como atuar contra um time bem compactado. Por outro lado, será possível usar o 2º tempo do jogo de hoje como um exemplo a não ser seguido, pois mesmo com muito mais qualidade em campo, o Galo passou por apertos desnecessários. É a famosa frase do atleticano: Se não for sofrido, não é Atlético Mineiro.

O primeiro tempo aconteceu em um campo só. O Atlético atacou e o Coritiba defendeu. O Galo teve boa organização e conseguiu empurrar o adversário, deixando a equipe alviverde sem válvulas de escape. A equipe alvinegro tentou bastante, até que Eduardo Sasha conseguiu fazer um merecido gol para o Atlético.

O time paranaense entrou em campo com a estratégia de ficar com os 10 jogadores compactados, deixando o Atlético rodar a bola na defesa, mas dificultando a entrada do ataque atleticano nos 30 metros finais de campo. Com isso, as boas jogadas alvinegras foram originadas pelas pontas, onde havia mais espaço.

Aos 22 minutos, Keno achou Guga na entrada da área. O lateral direito atleticano acertou um chute “na veia” e carimbou o travessão. A bola ainda, caprichosamente, bateu na linha e saiu. Seria um golaço de Guga, que ainda não marcou com a camisa do Galo.

Dez minutos depois, aos 32 minutos, Savarino cobrou escanteio pela direita e Igor Rabello cabeceou. O goleiro Wilson, ex-Atlético, fez grande defesa e a bola ainda bateu na trave. No rebote, o centroavante Eduardo Sasha estava atento e empurrou para o gol. 2º gol do atacante com a camisa do Galo e o 1º no Brasileirão. O 1º tempo acabou 1 a 0 para o Galo.

No intervalo, uma mudança inusitada. Após um 1º tempo com os uniformes bem semelhantes, os dois times mudaram de camisa. O Coritiba, mandante da partida, saiu do seu uniforme branco para uma camisa verde. Já o Galo, deixou de lado a camisa alvinegra e voltou com a camiseta branca.

A postura do Coritiba mudou juntamente com o uniforme. No segundo tempo, o Coritiba saiu para o jogo e conseguiu equilibrar, tendo boas oportunidades de marcar o gol de empate.

A grande chance da equipe paranaense aconteceu aos 9 minutos. Giovanni Augusto cruzou e encontrou Robson no meio da área. O atleta cabeceou e obrigou Rafael a fazer grande defesa. No rebote, Sassá bateu e Guga colocou o corpo na frente e salvou o Atlético.

O restante da segunda etapa foi de boas chegadas do Coritiba e erros individuais por parte do Atlético. Jorginho tentou mudar a forma de jogar, fez várias substituições, conseguiu ter mais posse de bola e mais finalizações do que o Atlético. Na segunda etapa, foram 61% de posse de bola do time paranaense e 12 finalizações.

Mesmo tendo uma atuação bem mais fraca que a do segundo tempo, o Atlético teve uma excelente chance para ampliar o placar. Em escanteio para o Coritiba, o goleiro Wilson resolveu ir para a área. E o escanteio foi mal cobrado. No contra-ataque, Marrony tentou bater, todavia errou a direção. Savarino teve a oportunidade de marcar com o gol aberto, porém também bateu mal.

O Atlético saiu com a vitória e mais próximo do líder, mas com uma atuação irregular. Um excelente futebol praticado na 1ª etapa destoou do 2º tempo pragmático do Galo. Sampaoli não deve ter ficado satisfeito, visto que o argentino gosta de bastante intensidade nos 90 minutos de jogo.

De ponto positivo da partida fica o resultado conquistado pelo Galo e a defesa sólida. Um time que almeja o título brasileiro não deve perder pontos bobos, mesmo em atuações que deixam a desejar. O desempenho do Galo hoje foi médio, equilibrando os dois tempos e saiu com os 3 pontos, correndo atrás do líder Internacional.

O Atlético volta a campo na próxima quarta-feira, 09, contra o Santos, às 21:30, na Vila Belmiro, em jogo válido pela 9ª rodada do Brasileirão 2020.

Números da partida
Coritiba Atlético-MG
47% Posse de bola 53%
13 Finalizações 19
3 Finalizações no gol 2
4 Escanteios 4
0 Impedimentos 2
14 Faltas 19
3 Grandes chances 4
3 Grandes chances perdidas 3
0 Finalizações na trave 2
442 Passes 482
352(80%) Passes certos 405(84%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários