Olhar tático | Qual é a posição ideal para Maurício?

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Por Pedro Bueno

Artilheiro na temporada, com 5 gols. Cria da base e uma promessa para o futuro. Maurício tem um enorme potencial e o Cruzeiro deseja e deve explorar o jogador. No entanto, o desempenho do atleta caiu nas últimas rodadas, juntamente com a equipe cruzeirense, e a dúvida paira sobre a Toca da Raposa: qual é a posição ideal para Maurício ser utilizado?

Armador? Ponta? Segundo volante? O atleta de 19 anos tem características que podem aumentar essa dúvida e a tentativa do “Olhar Tático” desta semana é enxergar a melhor possibilidade da joia celeste ser utilizada.

Maurício estreou na última temporada, em meio a crise gigantesca que o Cruzeiro enfrentava. Com vários “medalhões” não rendendo como esperado, a torcida implorava pela escalação do prata da casa. Maurício estreou em 14 de julho, contra o Botafogo, em um empate de 0 a 0, no Mineirão.

O queridinho da torcida recompensou a confiança da torcida no jogo contra o Vasco, na 17ª rodada do Brasileirão. Maurício entrou na 2ª parte e marcou um belo gol, definindo o placar de 1 a 0 para a Raposa. O garoto provou que tem estrela.

Porém Maurício não foi explorado como deveria no restante da temporada. Sob comando do treinador Abel Braga, o meio-campista foi utilizado em apenas 2 jogos. Somando todos os minutos dele com o técnico, o jovem jogador esteve em campo em apenas 30 minutos. 

Mesmo com o mau desempenho da equipe, Abel não usava Maurício, que até voltou a atuar no time sub-20. A torcida pedia e a promessa não era escalada. Os medalhões conseguiram rebaixar o time. Todos esses veteranos saíram do time após o vexame. Maurício ficou. O jogador quer reconstruir o gigante mineiro.

Segundo o próprio atleta, em entrevista à Bandeirantes em maio, o Cruzeiro recusou uma proposta do Manchester City, gigante inglês que estava interessado em Maurício no final de 2019. Mesmo imerso em uma grande crise financeira, o Cruzeiro quis manter a sua promessa. 

Os números desta temporada são bons. Maurício é o grande destaque em um time que passou por diversas reformulações no elenco durante o ano de 2020. O atleta marcou 5 gols e é, de forma isolada, o artilheiro do time. 

Todavia, o desempenho caiu. Maurício não está apresentando o bom futebol que estava e, com isso, o Cruzeiro também está mal. Com um bom passe e uma excelente finalização, o jogador é importante para a criação do time cruzeirense. E a criação está sendo o principal problema do Cruzeiro.

O time não trabalha boas jogadas e não cria chances. Maurício está sendo cobrado por melhores atuações, para que o Cruzeiro engrene. Mas o atleta está na posição ideal?

Na base, Maurício atuava na direita para o meio, com a intenção de bater com a excelente perna esquerda e encontrar companheiros bem posicionados. Em alguns momentos o jogador atuou como meia central, armando o jogo.

No ano de 2019, Maurício fez 8 jogos no Brasileirão, entrando como titular em 2. O jogador atuou em todas as 3 posições do meio, no esquema 4-2-3-1. Esta formação segue sendo usada por Enderson e é tema de várias discussões sobre o desempenho da equipe. Não seria o momento de tentar outra formação?

Mapa de Calor de Maurício. À esquerda, na Série A em 2019. À direita, na Série B em 2020. Fonte: SofaScore.com

Neste ano, como é possível ver no mapa de calor acima, Maurício está atuando quase sempre pela esquerda e a sua movimentação de organizador pelo meio fica prejudicada. Tanto que nos últimos 3 jogos, o meio-campista foi banco em 2 oportunidades. O que o treinador pode fazer para que a sua promessa renda o esperado?

É claro que Maurício não é um ponta velocista. Ele é mais criativo e finalizador. Logo, deixar ele aberto em uma das pontas acaba prejudicando a amplitude do time, isto é, com o jovem escalado aberto, mas trazendo para o meio, o Cruzeiro perde jogadores abertos. Com isso, as jogadas ficam concentradas no meio.

Airton, Welinton e Arthur Caíke são exemplos de jogadores que dão amplitude e profundidade ao time, pois esses pontas chegam até a linha de fundo com muita velocidade e ampliam o campo de ataque da Raposa. Portanto, Maurício não é a melhor opção para as pontas.

Na armação, o Cruzeiro conta com Régis, camisa 10 da equipe. O jogador também não está em um bom momento e nas últimas partidas revezou titularidade com Maurício. Mas os dois podem jogar juntos? Sim, mas em outra ideia tática.

Para não perder as boas escapadas com os pontas de velocidade e contar com os dois jogadores criativos, Maurício e Régis, o Cruzeiro pode optar por duas formações: o mesmo 4-2-3-1, mas com Maurício fazendo a saída de bola, como um segundo volante, ou 4-1-4-1, com Maurício ao lado de Régis pelo meio. 

Possível formação. Os outros jogadores da escalação foram mantidos os atletas que estão sendo titulares com Enderson. Produção: ShareMyTatics.com

As duas formações são parecidas, até porque Maurício teria maior liberdade como 2º volante. Porém a formação irá depender do 1º volante ter velocidade e inteligência para ficar mais preso. Jadsom seria a melhor opção.

Com Jadsom à frente da zaga, Raúl Cáceres um pouco mais preso auxiliando na marcação, o Cruzeiro conseguiria manter uma linha de 4 no meio-campo, com 2 pontas de velocidade e Maurício e Régis armando. 

Por isso, são necessárias mudanças mais ousadas para Enderson continuar no cargo, Maurício evoluir ainda mais e o Cruzeiro melhorar. Colocar o jovem jogador na ponta ou revezar com Régis não é a melhor opção e o time pode acabar sendo prejudicado pela falta de ousadia do treinador. É hora de tentar algo diferente. 

Maurício tem potencial. Agrega muito a equipe com seus passes e finalizações. Não é artilheiro da equipe à toa. O jogador é uma joia a ser lapidada. Basta entender como ele pode ser bem utilizado. Maurício é a esperança cruzeirense.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários