No apagar das luzes, Keno marca e Atlético vence o Tombense por 2 a 1

Fotos: Bruno Cantini e Pedro Souza / Atlético

Se não for sofrido não é Atlético Mineiro. Frase dita diversas vezes por atleticanos e veio à tona no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro 2020. Contra um adversário muito bem organizado em campo, o Galo sofreu, mas venceu o Tombense por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, 26, e abriu vantagem na final.

Não foi fácil. Atlético sofreu bastante contra o time comandado por Ibson e pelo gigante Rubens, centroavante que marcou o gol da equipe de Tombos, em pênalti muito bem cobrado. Mas Eduardo Sasha, e Keno, no último minuto da partida, fizeram com que o Atlético virasse o placar.

O Tombense apresentou uma postura defensiva e conseguiu jogar. Teve uma grande chance, mas parou no paredão Rafael. Desta forma, o time de Tombos terá que vencer o Atlético no próximo domingo, 30, para ser campeão. Qualquer empate ou vitória do Galo dará o 45º título ao time mineiro.

O Atlético entrou em campo com 4 atacantes. Jorge Sampaoli trocou e voltou para 3. Após sair em desvantagem, retornou aos 4 jogadores na frente e encerrou a partida com 3. Isso é bem Sampaoli. E deu certo. 

Mesmo sofrendo ainda na criação, o Atlético teve domínio das ações e teve algumas oportunidades. Nathan faz muita falta, mas a equipe alvinegra aproveitou a diferença entre os elencos e de investimento e saiu vitorioso no duelo com o Tombense.

O primeiro tempo foi praticamente todo do Galo. Mesmo assim o time alvinegro não conseguiu abrir o placar. Os 4 atacantes do Atlético foram barrados por um time compactado, defendendo em 30 metros. Todos os 10 jogadores de linha do Tombense ajudavam na marcação, deixando pouco espaço para o maior campeão da competição. 

Para furar esse bloqueio é necessário um jogador criativo no meio ou um lance individual. Foram esses os problemas do Atlético na 1ª etapa. A formação foi um 4-2-4, onde o Atlético tenta apertar a saída de bola e até que conseguiu. O que faltou foi o último passe para uma chance clara. 

As grandes chances da 1ª etapa foram em chutes de fora da área. Arana, aos 34, trazendo da esquerda para o meio, chutou de direita e obrigou Felipe a fazer grande defesa. Em jogada ensaiada no escanteio seguinte, Arana cruzou para Keno que estava na meia lua. O ponta esquerda “chapou” e a bola tinha endereço, só que desviou na marcação.

No intervalo, Sampaoli colocou Marquinhos e Alan Franco no lugar de Savarino e Marrony. Marquinhos entrou bem e chamando bastante o jogo. Com bastante personalidade, a cria da base atleticana foi um dos destaques da partida, mesmo cometendo alguns equívocos e jogando só os 45 minutos finais. 

Entretanto quem saiu na frente foi o Tombense. Em lance infantil de Alonso, o excelente zagueiro paraguaio agarrou o atacante Rubens, mesmo sem bola. Rafael já havia feito a defesa, mas o contato foi faltoso. O VAR comunicou o árbitro, que corrigiu seu erro e marcou o pênalti.

Quem sofreu, bateu. Rubens cobrou muito bem no canto direito do goleiro Rafael, que acertou o lado, porém não conseguiu pegar. O Tombense abriu o placar aos 17.

Sampaoli sacou Hyoran e colocou Bruno Silva, logo em seguida, retornando ao esquema de 4 atacantes. Mas o gol começou em um arremate de zagueiro. Aos 19, Alonso chutou de fora da área, a bola quicou na frente do goleiro Felipe, que estava fazendo ótima partida. Porém nesse chute, o goleiro “bateu roupa”. Sasha estava lá para conferir e marcar seu 1º gol com a camisa alvinegra. 

Após o gol, o Atlético até que tentou. Todavia a chance real foi do Tombense. Em falta batida na área, aos 36, Matheus Lopes cabeceou bem e Rafael fez grande defesa. Na sobra, o centroavante Rubens tentou empurrar no contrapé do goleiro alvinegro. Mas o pé direito do Rafael salvou o Atlético em um lance incrível. 

O Tombense saiu para o jogo e o Galo também. Jogo ficou animado nos últimos 15 minutos. O árbitro deu 7 minutos de acréscimos, por causa das substituições e do VAR, e foi o tempo necessário para o Atlético.

Marquinhos tentou algumas vezes e parou em Felipe. Aos 52, ele optou por abrir em Keno. O ponta bateu cruzado, contou com desvio do zagueiro e balançou as redes. O 1º gol de Keno com a camisa atleticana. Um gol decisivo. 2 a 1 para o Atlético.

Não foi a melhor exibição do Atlético, ainda mais analisando a disparidade dos elencos. Mas o Galo enfrentou um time muito bem treinado por Eugênio Souza e saiu com a vitória e pode até empatar no domingo.

De ponto positivo fica o faro de gol de Sasha, as excelentes defesas de Rafael, a boa entrada de Marquinhos e a possível retirada de “zica” de Keno. Como ponto negativo é a falta que Nathan faz ao time. O técnico Sampaoli ainda não encontrou um substituto para a função do camisa 23.

O Atlético volta a campo no próximo domingo, 30, às 16:00, contra o mesmo Tombense, em jogo válido pela 2º jogo da final do Campeonato Mineiro 2020. Vale taça!

Números da partida
Atlético Tombense
64% Posse de bola 36%
24 Finalizações 6
11 Finalizações no gol 3
Escanteios 2
2 Impedimentos 0
22 Faltas 14
2 Grandes oportunidades 2
1 Grandes oportunidades perdidas 1
451 Passes 250
376(83%) 
Passes certos 175(70%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.