Sem repertório, Cruzeiro tem atuação ruim e é derrotado pela Chapecoense no Mineirão

Foto: Pedro Vale/ACF

53 cruzamentos. Repetindo. 53 bolas lançadas na área adversária em um jogo de 90 minutos, com apenas 13 certas. O Cruzeiro fez a mesma jogada durante todo o jogo e não mereceu vencer o time catarinense, o qual abriu o placar logo cedo com Anselmo Ramon e se fechou bem no restante do jogo, segurando o placar de 1 a 0 contra uma Raposa inoperante.

Se há uma lei que funciona no Brasil é a lei do ex. Ela atacou o Cruzeiro no jogo de hoje. Logo aos 9 minutos, Anselmo Ramon marcou e definiu o placar do jogo. O Cruzeiro teve mais a posse, 68%, mas não conseguiu criar. A bola chegou na meta defendida por João Ricardo apenas uma vez, dentre as 15 finalizações que o Cruzeiro deu no jogo. Uma atuação fraca do gigante mineiro.

A Chapecoense apresentou uma proposta clara, fez o gol, teve oportunidade para ampliar, porém Rone errou. Com destaque para a partida de Luiz Otávio, zagueiro forte da Chapecoense, que tirou todas as bolas aéreas, a Chapecoense levou 3 pontos para Santa Catarina. Com o resultado, a Chape chegou à 3ª posição, 3 pontos atrás do líder Paraná, mas com um jogo a menos.

Já o Cruzeiro, tropeçou pela primeira vez sob comando de Enderson Moreira e deixou escapar os 100% de aproveitamento no Brasileirão Série B. Com isso, o time mineiro ficou na 11ª posição, logo atrás do rival América.

Um primeiro tempo fraco do time mineiro. Teve a bola, tentou inverter os jogadores para encontrar espaços, mas não produziu nenhuma grande chance. Das 5 finalizações, 4 foram de fora da área e nenhuma no gol, mostrando a falta de criação do time cruzeirense. Régis e Maurício, responsáveis pela armação, não estiveram bem e a inversão de Stênio e Maurício não surtiu efeito. 

A Chapecoense aproveitou desses problemas do Cruzeiro. Sabendo da fragilidade do lado esquerdo da defesa do Cruzeiro, a Chape concentrou os seus ataques por este lado e conseguiu em diversas oportunidades estar em superioridade.

Aos 9 minutos, o centroavante Anselmo Ramon, ex-Cruzeiro, saiu da área e recebeu com liberdade. O atacante tabelou com Paulinho Moccelin, e recebeu perto da meia lua. Anselmo chutou, a bola desviou em Cacá e encobriu o goleiro Fábio. A lei do ex atacou. 1 a 0 Chapecoense. 

No restante do primeiro tempo, os 63% de posse bola não adiantou muito. A única chance, da primeira etapa, que fez a torcida se animar em casa foi na bicicleta de Marcelo Moreno, mas a bola foi longe do gol. 

Para a segunda parte, Enderson tentou mudar e mexeu no time. Welinton e Henrique entraram logo no intervalo. A cria da base até fez boas jogadas pela linha de fundo, mas sempre buscando o cruzamento. Welinton cruzou 10 vezes na partida, acertando só 4. 

A Chape optou por fazer um segundo tempo completamente reativo. O time catarinense ficou esperando o Cruzeiro e observando que as jogadas do Cruzeiro eram sempre com os pontas. Por isso, o treinador ordenou que a 2ª linha, ou seja, a linha de meio-campo, abrisse, de forma que deixasse espaço no meio, mas fechasse as opções das pontas. 

O Cruzeiro não conseguiu criar nos espaços deixados no meio e foi derrotado pela escolha tática de Umberto Louzer, treinador do time de Chapecó. Enderson promoveu a estreia de Arthur Caíke, que pouco fez em campo. O treinador ainda colocou Patrick Brey e Roberson, substituições que não agregaram em nada e o time seguiu tentando cruzar na área. 

Com 75% de posse de bola no segundo tempo e trocando 253 passes, o Cruzeiro teve total domínio das ações, mas com todas as decisões erradas. A única finalização no gol foi o chute de Marcelo Moreno, aos 22 minutos, onde João Ricardo fez a defesa.

Um jogo fraquíssimo do Cruzeiro. O time tem elenco para apresentar mais repertório a partir do próximo jogo. As modificações de Enderson foram ruins, mas não é possível citar um jogador cruzeirense que atuou bem na partida de hoje. Placar justo. 

O Cruzeiro volta a campo no próximo domingo, 23, às 18 horas, no Estádio Batistão, contra o Confiança.

Números da partida
Cruzeiro Chapecoense
68% Posse de bola 32%
15 Finalizações 10
1 Finalizações no gol 3
12 Escanteios 2
0 Impedimentos 2
13 Faltas 14
1 Grandes oportunidades 1
1 Grandes oportunidades perdidas 1
586 Passes 283
512(87%) 
Passes certos 204(72%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários