Sem inspiração, Atlético joga mal e perde para o Botafogo por 2 a 1

Foto: Pedro Souza / Agência Galo / Atlético

Faltou criação. Faltou inspiração. Atlético atuou mal em partida contra o Botafogo nesta noite de quarta-feira, 19, no Estádio Nilton Santos e perdeu para o time carioca pelo placar de 2 a 1. Os gols botafoguenses foram marcados por Luiz Fernando, aos 26 do 1º tempo, e por Bruno Nazário, aos 43 do 2º tempo. O Atlético diminuiu aos 50 minutos da segunda etapa, com Igor Rabello, mas era tarde demais.

O Botafogo entrou com uma proposta clara e conseguiu realizar a sua estratégia com perfeição. O time carioca acertou apenas 133 passes no jogo, mas conseguiu escapar nas costas da linha alta defensiva do Atlético e teve boas oportunidades. Além dos dois tentos marcados, o time da estrela solitária teve um gol anulado e uma excelente chance no final do 1º tempo.

Pelo lado do Galo, houve bastante domínio da bola, como pede o treinador Jorge Sampaoli. Mas mesmo com os 76% de posse de bola, a equipe mineira pecou com a má utilização deste domínio. O time acertou 530 passes, tentou por diversas vezes rodar a bola e encontrar espaços, mas a defesa do Botafogo estava muito bem postada. O Atlético finalizou 31 vezes, 3 destas na trave, acertou o gol somente em 9 tentativas e encontrou Gatito em uma noite inspirada.

O Atlético perdeu a liderança e está em 2º colocado, empatado com o líder Internacional, adversário do próximo sábado. O time mineiro foi derrotado pela 1ª vez com Jorge Sampaoli no comando, perdeu os 100% de aproveitamento no Brasileirão e acabou com uma sequência de 5 jogos com vitórias.

Um primeiro tempo totalmente unilateral do Atlético. Uma primeira parte reativa e efetiva do Botafogo. Com 15 finalizações, o Atlético teve o domínio de todas as ações ofensivas do jogo somente pelo lado esquerdo. O problema atleticano estava no momento que perdia a bola. Com uma transição defensiva lenta, o Galo sofreu com os contra-ataques botafoguenses.

Aos 26 minutos, o centroavante Matheus Babi recebeu a bola no círculo central. A dupla de zaga atleticana, erroneamente, saiu para dar combate. O jovem atacante lançou Luis Henrique. O jogador acelerou, com a marcação frouxa de Guga, trouxe para dentro e bateu. O goleiro Rafael até tentou defender, porém a bola passou por ele e sobrou para Luiz Fernando, que abriu o placar para o time carioca. 1 a 0 para o Botafogo.

O Atlético praticamente jogou só pelo lado esquerdo no 1º tempo, com triangulações de Keno, Arana e Hyoran. O ponta-esquerda atleticano teve boas ações, porém não conseguiu criar uma chance clara. As melhores oportunidades do Galo foram em lances de escanteio cobradas por Hyoran. Alonso acertou o travessão e Marquinhos fez o goleiro Gatito fazer boa defesa, com a bola ainda batendo novamente no travessão.

No segundo tempo, o treinador Jorge Sampaoli tentou mudar o esquema tático ao substituir Franco e colocar Savarino, ponta de origem que atuou mais centralizado. O time não melhorou a criação e sofreu com a pressão de estar em desvantagem no marcador. Em uma boa jogada pela esquerda de Bruno Silva, jovem atacante que substituiu Marrony, Savarino concluiu de voleio e a bola foi no travessão.

Botafogo aproveitou do mesmo problema defensivo apresentado pelo Atlético no 1º tempo, a recomposição lenta, e em dois contra-ataques, marcou gols. Aos 37 minutos, Bruno Nazário marcou, mas com auxílio do VAR, o juiz viu toque de mão de Matheus Babi. Gol invalidado. 6 minutos após o gol anulado, o Fogão chegou novamente em um contra-ataque. Babi recebeu de Bruno Nazário e cruzou para Caio Alexandre aumentar para o time carioca.

Nos acréscimos, aos 50, Jair tocou para Igor Rabello, ex-zagueiro do Botafogo, chutar forte contra a meta do seu ex-time e diminuir o placar. Mas era tarde demais. Botafogo venceu o Atlético por 2 a 1.

Uma atuação sem brilho de um Atlético que sente a falta de Nathan e carece por um meio-campista criador. Keno teve muito a bola, mas errou muito na decisão e perdeu boas oportunidades. Allan, volante que dá ritmo ao time atleticano, também não estava bem.

Mesmo com amplo domínio e alto número de finalizações, os comandados de Jorge Sampaoli não estiveram em uma noite produtiva no Rio de Janeiro.

O treinador argentino, com certeza, irá cobrar bastante dos seus atletas uma melhor exibição no confronto direto do próximo sábado, às 19 horas, contra o Internacional, no Estádio Beira-Rio.

Números da partida
Botafogo Atlético-MG
26% Posse de bola 74%
10 Finalizações 31
5 Finalizações no gol 9
7 Escanteios 16
1 Impedimentos 2
9 Faltas 10
3 Grandes chances 3
1 Grandes chances perdidas 2
0 Finalizações na trave 3
209 Passes 608
132(63%) Passes certos 530(87%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários