Adversário do título de 1971, Atlético enfrenta o Botafogo sonhando com o Brasileirão

Reprodução Twitter

19/12/1971. Gol de Dario. Atlético venceu Botafogo por 1 a 0, no Maracanã, e se sagrou campeão brasileiro de 1971. Após 49 anos, o Galo não conseguiu vencer novamente a competição e carrega o maior tabu dentre os campeões brasileiros.

Desejo de todos os atleticanos, o título do Brasileirão é o grande objetivo da temporada. De 38 batalhas, Atlético venceu as 3 primeiras e enfrenta o Botafogo hoje, 19, no Estádio Nilton Santos, às 21:30, na esperança de se manter firme na liderança e 100% no Brasileirão.

Ao contrário do time mineiro que venceu os 3 primeiros jogos, o time carioca não triunfou ainda na competição. Com 2 empates e 1 jogo adiado, o Botafogo fará sua primeira partida em casa, a fim de vencer e escalar algumas posições. Não será jogo fácil.

O momento do Atlético é o maior alento do torcedor. Com Jorge Sampaoli são 8 jogos, 7 vitórias, 1 empate, 19 gols feitos e somente 5 sofridos. Números excepcionais para início de um trabalho.

O Galo venceu todos os últimos 6 jogos e se vencer o Botafogo, alcançará uma marca que não chega desde o icônico time de 2013: desde esta época o time atleticano não vence 7 jogos em sequência. A série de vitórias da equipe liderada por Ronaldinho foi de 13 vitórias consecutivas, uma boa meta para os atuais atletas do Galo mirarem. 

O histórico do confronto é um ponto negativo para o time mineiro. Mesmo com a conquista do título de 1971, o Botafogo é um grande algoz atleticano. Em 76 jogos em todas as competições, o Galo venceu 24, empatou 20 e perdeu 32 partidas, números que evidenciam os problemas do Atlético para enfrentar a equipe da estrela solitária. Com mando de campo do Botafogo, os números pioram. Em 38 jogos, são 23 derrotas, 9 empates e apenas 6 vitórias do alvinegro mineiro

Porém, o Atlético está melhorando estes números nos últimos anos. Nas 10 derradeiras partidas, o Galo perdeu apenas 2 jogos, venceu 6 e empatou 2. Em 2018, em pleno Estádio Nilton Santos, o time mineiro venceu o Botafogo por 3 a 0, com gols de Luan, Cazares e Tomás Andrade. 

Líder do Brasileirão, o Atlético vem de uma boa vitória frente o Ceará por 2 a 0, mas uma atuação fraca. O volume de jogo, esperado da equipe treinada por Sampaoli, não foi visto, entretanto, graças a Marrony, o time atleticano saiu com os 3 pontos do jogo do último domingo. 

A escalação, como de costume, é sempre uma possibilidade de surpresas. Dentre os jogadores considerados ”titulares”, apenas Júnior Alonso e Rafael atuaram em todos os minutos após a pausa. O zagueiro paraguaio pode ser poupado para evitar lesões de um dos destaques do Atlético.

Eduardo Sasha, reforço anunciado na última segunda-feira, ainda não teve seu nome inscrito no BID e também ainda não treinou com a equipe. Deve estrear nas próximas semanas.

Já Nathan, um dos destaques após a volta do futebol, segue lesionado e deve ficar por no mínimo 2 meses. Como notícia positiva do Departamento Médico, o Atlético já está contando com Bruno Silva e deve relacionar nos próximos dias o volante Gustavo Blanco, que não atua desde 2018.

Provável escalação: Rafael; Guga, Réver, Alonso (Igor Rabello ou Gabriel), Guilherme Arana; Allan, Alan Franco (Jair), Hyoran; Savarino, Marrony, Keno (Marquinhos). Técnico: Jorge Sampaoli.

Sobre o adversário
Treinado por Paulo Autuori e comandado por Honda, o Botafogo chegou no Brasileirão sem grandes expectativas. Com um elenco mediano e problemas financeiros, o time carioca almeja permanência no Brasileirão sem riscos, para assim poder reestruturar esta grande equipe. 

No campeonato Carioca, o Botafogo não teve um bom desempenho. Na Taça Guanabara, o time de General Severiano nem classificou às semifinais. Já na Taça Rio, o “Fogão” passou da fase de grupos, mas foi desclassificado pelo Fluminense, após um empate de 0 a 0, onde o time das Laranjeiras tinha vantagem. 

O Botafogo ainda não conta com o reforço marfinense Salomon Kalou, ex-Chelsea, que foi apresentado nos últimos dias, porém ainda não tem condição de jogos. Para o jogo de logo mais, o grande desfalque é Victor Luís. O lateral esquerdo que foi especulado pelo Atlético no início do ano, quando ainda estava no Palmeiras, teve que fazer uma cirurgia urgente para retirar o apêndice e ficará fora do jogo. Danilo Barcelos, ex-Atlético, ou Guilherme Santos irão o substituir. 

Provável escalação: Gatito Fernández; Barrandeguy, Marcelo Benevenuto, Kanu, Danilo Barcelos (Guilherme Santos); Caio Alexandre, Honda, Bruno Nazário; Luis Henrique, Pedro Raul, Guilherme Santos (Luiz Fernando). Técnico: Paulo Autuori.

Botafogo x Atlético-MG 
4ª rodada do Brasileirão Série A
19/08/2020, 21:30 horas, Maracanã
Transmissão: Globo, SporTV e Premiere
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Neusa Ines Back (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários