Análise | Daniel Guedes e Arthur Caíke chegam ao Cruzeiro como titulares absolutos?

Reprodução Twitter

Por Pedro Bueno

Cruzeiro anunciou na última segunda-feira, 10, a contratação do ponta Arthur Caíke e deve oficializar nos próximos dias a chegada do lateral Daniel Guedes, atleta do Santos e jogou o último Brasileirão no Goiás. 

Daniel foi absolvido na última quarta-feira, 12, no Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem por causa de um caso de doping do atleta em 2019. Desde 24 de setembro ele está suspenso do esporte e, a partir dessa absolvição, poderá voltar aos gramados. O lateral pertence ao Santos e será emprestado ao Cruzeiro.

Daniel fez 15 jogos ano passado no Brasileirão pelo Goiás e não participou de nenhum gol, mas teve uma nota média razoável: 6,84, segundo dados do SofaScore. O lateral tem apenas um gol na carreira, em uma bela cobrança de falta no Independência. Daniel marcou no último lance contra o Atlético, em 2017, para sacramentar a vitória santista. Ele tem boas lembranças de Minas e do rival do Cruzeiro. 

Arthur Caíke, a outra contratação cruzeirense, também chegou por empréstimo, mas ele já está disponível para atuar pelo gigante mineiro no próximo domingo frente o Figueirense. Não é provável a sua atuação, todavia cabe a Enderson e aos preparadores físicos analisarem se Arthur já conseguirá atuar em bom nível e em quantos minutos, visto que a próxima partida será um confronto difícil em Santa Catarina. 

Titulares absolutos?
Os dois jogadores chegaram a pedido de Enderson Moreira. O treinador treinou os atletas em diferentes momentos da carreira e tem confiança no potencial de ambos. Mas a concorrência não será fácil de ser batida.

Daniel Guedes, lateral direito de origem, tem como grande concorrente Raúl Cáceres, atleta que também chegou este ano e vem realizando boas partidas no Brasileirão Série B. O paraguaio foi titular nos dois jogos da competição, deu duas assistências e tem a melhor média entre os jogadores do Cruzeiro: 7,85, segundo dados do SofaScore.

Para Daniel chegar e tirar de vez Raúl será complicado, ainda mais com a falta de ritmo que pode ser sentida pelo brasileiro, já que não joga há quase um ano. Dias de preparação física serão necessários para estabelecer uma condição ideal de jogo e, a partir disso, lutar por uma vaga com Cáceres.

Mesmo com boas participações no ataque, Cáceres está tendo uma função tática mais defensiva, pois o lateral esquerdo Giovanni ataca muito e faz com que o paraguaio fique mais preso em algumas jogadas.

Com a indefinição na esquerda e alguns jogadores que não estão apresentando o futebol esperado, Enderson pode optar por colocar Daniel Guedes na lateral esquerda, mesmo que seja uma função que ele pouco atuou na carreira. São opções que Enderson Moreira tem para definir o melhor time para a sequência da temporada. 

Já a situação de Arthur Caíke é mais confortável. O jogador chega com a confiança do treinador, da torcida e espera retribuir esse sentimento em campo. O ponta, que atua com maior frequência no lado esquerdo, tem como principal característica a velocidade e a boa finalização, trazendo sempre da esquerda para o meio.

Para Arthur se tornar titular, ele tem que conquistar a vaga de alguém do ataque. Sob comando de Enderson Moreira, Stênio e Maurício estão tendo oportunidades com regularidade. Stênio, jovem de 17 anos, não atuou na última partida por uma lesão no ombro, porém deve estar apto em breve. Maurício é uma das revelações do Cruzeiro nesta temporada e vem atuando muito bem, tanto pela direita ou pela esquerda. 

Se Arthur Caíke for atuar pela ponta esquerda, Maurício deve ser deslocado à direita, formando um quarteto de ataque com Régis e Marcelo Moreno. Caso Enderson, como fez contra o Guarani, opte por usar 3 volantes, a vaga de Arthur Caíke fica mais ameaçada e iria concorrer vaga com Moreno, Régis e Maurício.

Outra opção é usar Arthur como um centroavante mais móvel, visto que tem força física e faro de gol para esta função. Com isso, Marcelo Moreno seria deixado no banco de reserva e Enderson poderia optar tanto por colocar 3 volantes, com Arthur junto com Maurício e Régis, ou colocar mais um jogador de velocidade, resolvendo um dos poucos problemas do Cruzeiro nos últimos jogos: a transição lenta. 

São variações possíveis para um técnico capacitado como Enderson Moreira. Ele pode optar por treinar várias formações e utilizar as 5 substituições no jogo para modificar a forma como está disposto o time.

Com o elenco mais qualificado da Série B, o Cruzeiro deve utilizar todas as mudanças e tentar extrair o melhor de cada jogador em busca da reconstrução tão almejada e necessária.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.