O que as dispensas no Galo pode indicar

Bruno Cantini/Atlético

Foto: Bruno Cantini/Atlético

Ricardo Oliveira, Franco Di Santo, Edinho, Zé Welison, Ramón Martínez e Lucas Hernández ficaram sabendo que não fazem parte dos planos do técnico Jorge Sampaoli para a temporada.

Não dá para falar de alguma imensa injustiça, ainda que alguns nomes como Edinho e Ramón Martínez, no meu modo de ver as coisas, poderiam merecer mais oportunidades.

Lista divulgada, é hora de tentar compreender o que vem pela frente. Uma constatação clara é a de que se os jogadores não agradam de jeito nenhum, melhor evitar ficar pagando salários a eles.

Um outro ponto a ser observado é que três estrangeiros saíram. Sem Di Santo, Martínez e Hernández é possível entender que o Galo talvez observe o mercado internacional para uma ou outra reposição. Seria difícil imaginar a chegada de mais um outro estrangeiro já que o limite já estava estourado.

É óbvio que é desconfortável ter que chegar ao ponto de propor rescisão contratual. Tudo isso envolve quebra de confiança, instabilidade, prejuízo financeiro, mas, especialmente, envolve muito a incompetência na avaliação prévia de alguns jogadores. É incrível como ficou claro que o Atlético tem ido mal ao mercado.

Di Santo, Martínez, Zé Welison, Edinho e Lucas Hernández mal chegaram e já estão de saída! Nem citei Ricardo Oliveira, que tem histórico de vencedor por onde passou, mas ele também chegou com a atual direção atleticana. Completamente diferente do esperado para um clube que precisava ter 100% de acerto nas contratações com o pouco de dinheiro que tinha. Incrível o nível de equívocos.

É certo que Sampaoli já deve ter um embate pela frente. Ele vai pedir reforços para chegar e jogar e a direção, que gastou mal antes, vai tentar não gastar tanto.

Sampaoli, com o elenco que tem, poderia fazer o clube sonhar com o título? Acho difícil. Se o planejamento envolver contar com Sampaoli para uma era de sucesso, o melhor a fazer é ser zeloso nos próximos contratos e diminuir muito o número de erros nas contratações. Que contrate um ou dois, mas que contrate certo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários