Cruzeiro repete América pelo acesso – por Raphael Prates

Mourão Panda / América

Mourão Panda / América

O América campeão da Série B de 2017 começou o ano com onze contratações, Enderson Moreira (técnico) e Ricardo Drubscky (diretor de futebol). Ao longo da temporada, chegaram jogadores experientes como Giovanni, Bill e Luan.

A fórmula do Cruzeiro 2020 tem semelhanças dentro de campo, apesar de muitos problemas e diferenças fora. Mas a dupla Enderson/Drubscky deve tentar repetir a fórmula que valeu o título, desbancando Internacional e Ceará, os elencos mais fortes daquele ano.

Enderson tem trabalhos interessantes nos últimos anos e sucesso com jovens que buscam espaço no mercado. Aliás, se deu melhor com garotos do que com experientes desacreditados ou menos pacientes.

O Cruzeiro parece ter entendido que a Série B premia competitividade e organização (em campo também) muitas vezes acima da qualidade individual. O torneio não é um primor técnico e times homogêneos conseguiram subir contra times mais talentosos e menos aplicados. Na realidade da B, o elenco cruzeirense ainda será um dos melhores.

Em meio a muita turbulência, troca de técnico, Conselho Gestor batendo cabeça, o Cruzeiro parece ter lembrado que o objetivo é o acesso e procurou o caminho em uma fórmula conhecida: quem conhece a competição e quem dará respaldo para o técnico.

Chance de acerto é boa se ninguém internamente atrapalhar.

  • Raphael Prates assina a coluna durante as férias de Mário Marra

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Categorias:
Futebol Nacional

Comentários