Champions League deveria parar pelo coronavírus

Reprodução Twitter

Reprodução Twitter

Faz sentido disputar a principal competição do mundo sem público nos estádios? Dois jogos de volta das oitavas-de-final já estão confirmados com portões fechados. Primeiro foi Valencia x Atalanta. Nesta segunda-feira, a mesma medida foi tomada para Paris Saint-Germain x Borussia Dortmund.

Não está descartado que se dispute sem público também o Barcelona x Napoli da próxima semana.

A escalada do contágio por coronavírus exige medidas sérias, e não se trata aqui de defender que se cometesse a irresponsabilidade de jogar para milhares de pessoas nos estádios, expondo-as aos riscos.

Mas não seria o caso de simplesmente parar?

A saúde é mais importante que o esporte, mesmo com todo o dinheiro envolvido. Suspender a competição daria uma mensagem importante e ajudaria a conscientizar quem ainda não entendeu que estamos falando de algo grave.

O primeiro passo para a normalização seria suspender as competições de seleções previstas para junho e julho, como Eurocopa e Copa América, para que se criasse uma margem inicial do calendário para recuperação das partidas adiadas das competições europeias e das ligas nacionais que também são afetadas.

Tais medidas gerariam prejuízos, mas não é que outras atividades econômicas também não os tenham.

E se a crise durar tempo suficiente para tornar inviável a recuperação das partidas adiadas?

Paciência. O futebol não está acima da vida.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.