Copa do Brasil testará (r)evolução do Cruzeiro – por Raphael Prates

Gladyston Rodrigues / EM DA PRESS

Gladyston Rodrigues / EM DA PRESS

Seis titulares com menos de 20 anos, Edu colocado no meio-campo, Moreno “brigando” na frente, boa entrada de Thiago. O golaço de Otero nos acréscimos definiu o clássico mas deu bons sinais ao Cruzeiro. É isso não se trata de glamourizar derrota. Perder é péssimo sempre e em qualquer circunstância.

Mas Adilson saiu do Mineirão vendo a primeira verdadeira evolução depois de meses sofríveis. A maioria dos garotos (alguns colocados às pressas em poucos dias) parece não ter sentido um estádio lotado contra um adversário melhor.

Atuações de superação e organização em clássicos levantam dúvidas pertinentes se o comportamento se deve pelo cenário, rivalidade, desconfiança e resposta “contra tudo e contra todos”.

Tudo o que se viu no sábado valerá como confirmação na quarta diante do CRB, na Copa do Brasil, com atuação parecida ao do segundo tempo. O ano será de adversários de níveis muito mais parecidos ao do Galo da Praia que do Galo.

Meio de semana pode ser o primeiro capítulo de uma mudança real dentro de campo.

  • Raphael Prates assina a coluna durante as férias de Mário Marra

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Categorias:
Futebol Nacional

Comentários