Sampaoli chegou – e o papel da direção é não atrapalhar

Reprodução Twitter

Reprodução Twitter

Uma boa notícia para o atleticano que comemora a contratação de Jorge Sampaoli: trabalhar sob as ordens de Sérgio Sette Câmara pode não ser um choque tão grande para o técnico após o ano que viveu no Santos.

No Peixe, o argentino teve de lidar com José Carlos Peres, que não é exatamente um exemplo de presidente com amplo conhecimento de futebol.

Sampaoli colocou suas condições, se fez respeitar e estabeleceu limites bem claros sobre qual sua área de atuação e onde dirigentes amadores não devem pisar.

O trabalho tático fala por si só: o vice-campeonato brasileiro com o Santos é um resultado primoroso – e aliado a uma ótima qualidade de jogo.

Se Sampaoli for um sucesso, a gestão Sette Câmara terá a chance, talvez derradeira, de se redimir dos inúmeros erros cometidos até agora.

Paradoxalmente, a maior chance de isso acontecer é com interferência zero. Nenhum holofote, nenhuma declaração, nada. Que deixem em primeiro plano quem deve brilhar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários