Atacante Marega é mais uma vítima de nós mesmos

AFP/ Miguel Riopa

AFP/ Miguel Riopa

Não, não somos todos Marega. Ou, como dita a moda, #somostodosmarega. Marega é o Marega. E ele foi uma vítima de insultos racistas na partida entre o seu time, o Porto, contra o Vitória de Guimarães.

Marega via o seu time empatar até que recebeu a bola na entrada da área, percebeu a saída goleiro para colocar por cima e desempatar a partida. Gol do Marega!

O que se viu após o gol foi uma demonstração clara de como podemos ser nocivos, nojentos e de como estamos falidos. Não é que Marega devesse ser aplaudido pelos torcedores adversários, mas é deplorável que, sob a fajuta desculpa de que é preciso desestabilizar o adversário, seja permitido romper qualquer barreira. E as barreiras foram rompidas. A educação, a humanidade e o respeito também foram quebrados.

Marega decidiu que não ouviria mais as ofensas que estava ouvindo e tentou partir do campo. Conseguiu, mas seus colegas de clube tentaram impedir, dialogar com Marega. Perderam todos uma imensa chance de abandonarem juntos o gramado. Todos deveriam ter ido. Se a penalização fosse de perda de pontos ou se até mesmo um afastamento maior estivesse previsto, tudo teria valido a pena.

Hoje estaríamos todos falando que o Futebol Clube do Porto resolveu dar um basta e tomou uma atitude totalmente diferente do padrão. No entanto, só Marega saiu de campo.

Aqui escreve um branco. Alguém que não tem a menor possibilidade de saber o tamanho da dor e da revolta do atacante do Porto. Nunca sofri qualquer tipo de discriminação. Nunca fiquei com o gosto amargo que Marega ficou. Que Marega e outros tantos não sejam vistos com olhos discriminatórios e que o futebol dê um passo à frente não mais no campo das ideias, mas das ações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
antonio matapetê

É muita babaquice junta. Perguntem ao Pelé como ele reagia quando insultado em campo. E ainda, qual era o nome que davam a ele na TV e pelos colegas (Negão). Ontem o Galo demitiu um profissional que se fantasiava de “Galo Doido”, baseado nessa mesma lógica ridícula, só que desta vez a “ofendida” é a figura da mulher. A mesma que se oferece de pernas abertas, mostrando tudo, como se fosse uma mercadoria. Recentemente soltaram uma cartilha em BH para “instruir” os homens a não se fantasiarem de mulher ou índio. Mundo chato pacarai.

Luiz Antonio Lopes Barcelos

Matapetê, Somente uma pessoa como você, sem nenhum caráter poderia ter feito esse comentário!
Esgoto da humanidade!

Daniel Pinheiro

vc é um tipico idiota util……kkkk, desinformado que dói…..

Daniel Pinheiro

é um mimi absurdo…..o Pelé detonava em campo, mas hoje é um bando de boiola que eu vou te contar….o cara do galo foi punido injustamente, a mulher morreu de rir, e este é o barato, nao houve ofensa alguma….Sou braquelo feito uma beluga, rsrs, ja fui goleiro de time que joga em favela, o que gritavam de “leite azedo”, “branquelo” em nada me ofendia porque fazia parte do jogo…..depois saia todo mundo junto…..mundo hoje está um pe no saco……

Daniel Pinheiro

quase todos os meus idolos são negros, gays…tipo b.b.king, tomas sowell, michael jackson, michael jordan, little richard, etta james, bilie holiday, freddy mercury, george michael, hob halford e por ai vai. A opção sexual ou cor deles pouco importa, são bons no que fazem, daqui a pouco será discurso de odio ouvir blues, jazz…..que preguiça……Imagine se o little richard, gay e negro na ultima potencia, fosse se incomodar com o que os outros falavam dele na decada de 50 kkkkk……hoje é um bando de pera com ovomaltine du capeta……