O que dizem as derrotas de Grêmio, Corinthians e São Paulo nos estaduais

Alan Morici/Agência Corinthians

Alan Morici/Agência Corinthians

Cada caso é um caso, mas não deixa de ser interessante ver o que o futebol brasileiro oferece no início da temporada. O final de semana com jogos dos estaduais e Copa do Nordeste foi nitroglicerina pura.

Cruzeiro e América se testaram em um jogo que valia a liderança. Empate. Jogo com a bola mais tempo com o Cruzeiro. O América marcou o primeiro gol e cedeu o empate. Foram 87 passes errados na partida.

Adilson e Lisca sabem que estão iniciando seus trabalhos. A longa caminhada exige que se aprenda a cada dia com os vacilos.

O Grêmio vacilou. O Aimoré viu Renato iniciar a partida com Everton Cebolinha, Diego Souza, Alisson e Luciano. A ideia era de movimentação, qualidade com a bola no campo de ataque e velocidade. O Grêmio teve a bola, finalizou 17 vezes e perdeu a segunda no Gaúcho.

O domingo também foi de derrotas dos grandes em São Paulo. A Inter de Limeira, treinada por Elano, foi até a capital paulista e ganhou do Corinthians por 1 a 0. Foi a segunda derrota na semana de por Tiago Nunes.

Vários jogadores foram poupados e o Corinthians, especialmente no segundo tempo, abusou dos cruzamentos para a área. Foram 51 no total. A Inter, vencedora da partida, só levantou oito bolas para seus atacantes.

O São Paulo foi até Santo André e perdeu também. Sim, é verdade que o Santo André tem a melhor campanha do Paulista e também é verdade que o São Paulo conheceu o seu primeiro revés, mas o time errou muito nas finalizações. Foram 22 no total e apenas um gol foi marcado.

Se a o olhar ficar preso a orçamentos, tradição e ambições, fica bastante claro que os grandes não deveriam perder e merecem muitas críticas, mas uma observação menos cruel se faz necessária.

O momento é de ajustes. Tropeços são normais e não foram poucos os times gigantes que caíram. A grande questão é o que se faz com as frustrações. Como Adilson vai fazer o time melhorar quando estiver sem a bola? Como Fernando Diniz levará o São Paulo a acertar mais o gol? O que Renato fará para o time trocar passes mais perto da área adversária? E o que Tiago Nunes vai fazer para acertar rapidamente os movimentos de seu jogo ofensivo?

Saber o que fazer com as informações que o campo oferece é o grande segredo dos campeonatos estaduais. Talvez o único.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional