Campeão em março? Os números absurdos da campanha do Liverpool

Glyn Kirk/AFP

Glyn Kirk/AFP

Perto de acabar com um jejum de 30 anos sem o título inglês, o Liverpool ostenta números nunca antes vistos na Premier League. Neste fim de semana, a goleada de 4 a 0 sobre o Southampton, combinada à derrota por 2 a 0 do Manchester City para o Tottenham, deram aos Reds uma vantagem de 22 pontos na liderança, restando treze rodadas para o final.

A matemática diz que o time de Jürgen Klopp só precisa vencer seis partidas para garantir o título, independentemente do que façam os adversários. Caso Liverpool e Manchester City vençam sempre de agora em diante, a taça é garantida no dia 21 de março, quando o Crystal Palace vai a Anfield. Mas tropeços do City poderiam antecipar esta data – por exemplo, para o dia 16 de março, quando o Liverpool faz o dérbi com o Everton em Goodison Park.

Na temporada passada, o Liverpool fez sua melhor campanha na Premier League, com 97 pontos, mas acabou um atrás do Manchester City. Um dos resultados cruciais para que o título não viesse foi o empate sem gols com o Everton em março de 2019.

Desde a criação da Premier League, em 1992, o recorde do título mais prematuro é do Manchester United, na temporada 2000/01, tanto na data (14 de abril) quanto em número de rodadas de antecipação (cinco, marca igualada em 2017/18 pelo Manchester City).

A atual vantagem do Liverpool supera com folga a maior distância que um líder já teve sem ficar com o título depois. A indesejável marca cabe ao Newcastle da temporada 1995/96. O time então dirigido por Kevin Keegan virou o ano com 12 pontos de vantagem, mas acabou quatro atrás do Manchester United.

Para se ter uma ideia do tamanho da diferença para os rivais: se o Liverpool tivesse começado a jogar apenas em outubro, teria alcançado a liderança neste fim de semana. Foram sete vitórias (21 pontos) nos sete jogos entre agosto e setembro.

O perfil GoalscorerC do Twitter destacou outras curiosidades: a atual pontuação de 73 é mais do que têm somados Chelsea (41) e Arsenal (31) ou Tottenham (37) e Manchester United (35). Também é maior que a campanha do Everton em qualquer temporada da Premier League, e que a de 20 dos 22 times que disputaram a primeira temporada, 1992/93, que teve 46 rodadas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.