Adilson dá primeiros passos e mexe com os sonhos dos meninos

Fernando Priamo/Lightpress/Cruzeiro

Fernando Priamo/Lightpress/Cruzeiro

Não são poucos os desafios do Cruzeiro na temporada. O abatimento após o rebaixamento não passará facilmente, mas os compromissos exigem entrega, acerto e concentração.

Adilson Batista conhece a casa, mas há muito não encontrava um desafio tão grande e com tanto envolvimento emocional.

Foram três jogos pelo Mineiro. O treinador repetiu a mesma defesa nos dois primeiros e trocou Rafael Santos por João Lucas na lateral esquerda no último jogo.

O momento é de observação e não foram poucas as mudanças do meio para frente. Apenas Jadsom Silva e Maurício iniciaram todos os jogos e não é difícil falar que eles têm se destacado.

Adriano e Alexandre Jesus começaram os dois primeiros jogos e cederam espaço para Adilson avaliar novos nomes. Rodriguinho, que oferecia experiência ao time, já não está mais.

O caminho é longo e repleto de desafios. Para o momento, o que importa é dar oportunidades e avaliar quem tem condições de ajudar. Os resultados têm menor representatividade, mas podem dar a paz para trabalhar e a confiança para arriscar um pouco mais.

É normal que o torcedor tenha as suas dificuldades para se familiarizar com tantas novidades, mas os dias devem estar sendo de realização de muitos sonhos para muitos daqueles meninos. Lembrando de Samuel Rosa e Chico Amaral, “se a sorte lhe sorrir, por que não sorrir de volta?” Chegou a oportunidade que todos esperavam.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sylvio Mauro De Castro

Concordo com as ações do Adilson Batista e com a matéria. Jogador de futebol com mais de dezoito anos não tem que ter mimimi não. É entrar em campo e mostrar o que aprendeu e desenvolveu desde que chegou ao clube com 12, 13 anos de idade. Afinal, jogar bola é uma atividade muito mais de prazer do que de trabalho para a maioria dos mortais independente do sexo. Não poderia ser diferente para atletas profissionais que além do prazer ainda ganham bom dinheiro com a atividade.

Elson Gomes

Sylvia Maria pegou a mania da poetisa, a famosa latejas

Elson Gomes

Adilson Champions Ligue. O fera.

alisson mateus machado

Uma coisa é certa: esse time teria vencido fácil Avaí e Csa na reta final do brasileirão e não estaríamos na série B
Pena ainda ver o Edilson vestir o Manto Azul

Fabricio Tadeu

Uma coisa é nítida, a vontade dos jovens em mostrar serviço! Nos ficamos traumatizados com aqueles velhos com muito dinheiro no bolso e que andavam em campo, pouco se importando com a nossa camisa azul. Deus ajuda quem trabalha e é honesto, voa garotada!

Murilo Andrade Marçal

Ainda tem uns ex, Edílson lixo, Fábio gordo.