A hora de ficar ao lado de Neymar

Neymar Jr / Twitter

Neymar Jr / Twitter

Um jogador com o talento de Neymar tinha tudo para ser sucesso de crítica, adorado por todos os fãs de futebol. Afinal, sobram dedos de uma mão para contar os jogadores que fazem o que ele é capaz de fazer com a bola.

Ainda assim, suas posturas dentro e fora de campo o transformaram num personagem controverso, polêmico, até odiado por alguns. Petulância no trato com adversários, demonstrações de imaturidade, a forma com que saiu ou tentou sair dos clubes… Nada disso jogou a seu favor.

Fica até difícil não misturar as coisas ao analisar o que o Neymar jogador produz. É verdade que a opção de jogar na França, sob menos holofotes que as principais ligas, também dificultou, assim como suas lesões em momentos cruciais das últimas temporadas.

Mas é preciso reconhecer que o Neymar dos últimos meses tem demonstrado mais interesse pelo jogo – e tem rendido em altíssimo nível. Com gols e assistências frequentes, mostra ser capaz de ajudar o Paris Saint-Germain a buscar o sonhado título da Champions League.

No sábado, seu nome chegou às manchetes não apenas pelo novo cabelo pintado de cor-de-rosa, mas pelo episódio em que irritou com o árbitro que lhe deu uma advertência por dar uma “lambreta” num adversário, levando cartão amarelo em seguida.

Embora o cartão tenha sido pela reclamação e não pelo lance em si, não deveria caber aos árbitros dizer a um jogador como usar a bola, desde que dentro do regulamento.

Pode-se defender que Neymar precisará trabalhar seu autocontrole para situações do tipo – afinal, árbitro certo ou árbitro errado, um cartão pode comprometer o time em momentos decisivos.

Mas no caso específico do sábado, é preciso ficar ao lado do talento. E compreender que talvez tenha chegado o momento de Neymar mostrar que é possível deixar avaliações sobre sua figura à parte e falar apenas da enorme bola que joga.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:

Comentários