A história do Cruzeiro pede respeito

Cesar Greco/Palmeiras

Cesar Greco/Palmeiras

O torcedor, aquele que mal dorme e tem o clube de coração como pano de fundo para todos os acontecimentos da vida, já não suporta mais conviver com o que conseguiram fazer com o Cruzeiro.

Qualquer noticiário esportivo traz impacto negativo na vida do apaixonado torcedor cruzeirense. O momento é mesmo desesperador.

Se existe um facho de luz no meio da atual escuridão, é a oportunidade de realmente colocar tudo de forma clara; expor todos os culpados e brigar na justiça para que o clube receba de volta, o que, se ficar comprovado, foi dele tirado por erro administrativo ou por má fé.

A situação chegou a um ponto que qualquer tipo de composição política ainda será vista com desconfiança – e faz sentido que seja assim.

Claro que faz todo o sentido que pessoas bem interessadas queiram tocar um processo que caminhe para o crescimento, mas até mesmo quem se colocou à disposição está saindo. A hora é de uma intervenção supeior, é de tornar público tudo o foi feito para caminhar pela reconquista da credibilidade. É a história do Cruzeiro que pede respeito.

O próximo ano será o ano do esperado centenário e o caminho para chegar lá se mostra sombrio e espinhoso, mas é preciso, possível e desejável que a grandeza do clube , conquistada dentro de campo com gols e defesas espetaculares, agora passe pela justiça.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários