Atlético não pode vender ilusão ao torcedor

Ivan Storti/Santos

Ivan Storti/Santos

A direção do Atlético pode argumentar que a busca por Jorge Sampaoli era a tentativa de contar com o melhor nome possível do mercado.

No entanto, o fracasso das negociações já era previsível, e acreditar que o argentino toparia dirigir o Galo após recusar o Palmeiras e todo o seu poderio financeiro exigiria uma boa dose de pensamento mágico.

Agora, o esperado “não” de Sampaoli pode fazer com que qualquer nome escolhido pareça pior.

O Galo precisa cortar o discurso de que pode fazer tudo acontecer com a famosa “ajuda de investidores”. Não existe dinheiro de graça, e ninguém investe sem interesse posterior. Tal discurso serve apenas para iludir o torcedor.

O que o clube necessita é de um plano que fique dentro do orçamento possível, entregue à mão das pessoas mais competentes que possam ser pagas sem fazer loucuras.

Com criatividade, dá para encontrar bons nomes com sede de evolução na carreira e com capacidade para desenvolver novos jogadores – o que fez, por exemplo, Miguel Ángel Ramírez no Independiente del Valle. Se não for necessariamente este o nome, alguém dentro deste mesmo perfil seria uma boa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários