Dia de uma lembrança triste

Deva Pascovicci

Arquivo Pessoal

O dia seria de muita correria. Tinha pedido folga para poder participar de um evento com meu filho em BH e acordei cedo para ir ao aeroporto. Peguei o telefone e vi que muita gente estava tentando falar comigo. Percebi, meio sem entender se era um sonho ou já era a realidade, que algo não estava bom.

Aos poucos fui entendendo o acidente da Chapecoense. As notícias chegavam meio atravessadas. Um postava uma coisa, outro postava notícia falsa, outros tantos “especialistas” afirmando quem estava vivo. Não foi fácil.

As coisas começaram a piorar para mim quando a Carolina, uma das filhas do Deva Pascovicci, veio me perguntar por mensagem se eu sabia de algo. Ela dizia que as notícias que chegavam estavam muito confusas e que era difícil não se desesperar com a falta de informação ou até mesmo com o excesso de informação contraditória. Aqui vai um apelo aos colegas jornalistas: não existe a menor necessidade de cravar a morte de alguém antes de as fontes oficiais confirmarem. Devemos nos colocar na pele de quem está desesperado por qualquer informação. Não deve custar muito ser mais humano para quem resolveu fazer um curso de Ciências Humanas.

Lá estava eu. Indo para BH, tentando entender tudo e vendo as mensagens de alguém que precisava ouvir algo diferente do que o que ela estava ouvindo.

O dia 29 de novembro vai ser sempre marcado para aquelas famílias. As nossas lembranças vão e vêm com frequência, mas filhos e filhas, pais e mães, maridos e esposas vivem todos os dias alguns reflexos do que foram aqueles dias e lembranças do que aquelas pessoas construíram em suas vidas.

Dedico o último parágrafo ao querido Paulo Júlio Clement, homem que, ao lado de outros tantos como Marcos Guiotti, apostou em mim e ao amado Deva Pascovicci, inesquecível companheiro de cabines, viagens e transmissões. A obra, seja escrita, falada ou jogada, de cada um daqueles que estiveram no avião merece minha honra, meu carinho e respeito. Saudades.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários