Fim de ano com sofrimento é o preço das escolhas do Galo

Bruno Cantini / Atlético

Bruno Cantini / Atlético

Ninguém pode dizer que é inesperado. Se o Atlético chega às rodadas finais do Campeonato Brasileiro sem estar matematicamente seguro da permanência, é apenas uma consequência das últimas escolhas.

Podemos concordar que a queda livre em que se enfiou o medíocre elenco alvinegro exigia medidas, e que nesse contexto era compreensível a mudança no comando, com a queda de Rodrigo Santana.

Mas a escolha de Vágner Mancini, um especialista em rebaixamentos, vai se mostrando a mais equivocada de uma série de decisões infelizes da direção.

Como se não bastasse a falta de amor próprio – Mancini fez um rebuliço da demissão de Oswaldo de Oliveira pelos mesmos dirigentes, protagonizando um teatro em solidariedade ao colega -, faltou compreensão de que o momento inspirava cuidados maiores.

Em vez disso, apelou-se a um tapa-buraco, como se o resto do ano fosse apenas uma questão de cumprir tabela.

Os resultados não melhoraram, o Atlético joga cada vez pior, e cada jogo que passa é um teste à paixão do torcedor. O mesmo torcedor que é rechaçado pelos cartolas quando protesta, mas é convocado a salvar o time nos momentos de desespero.

No empate com o Bahia, o ponto conquistado se deve muito mais ao presente recebido por Cazares do que aos méritos coletivos. A substituição do equatoriano por Leonardo Silva foi o ápice da falta de ambição, da falta de recursos de quem comanda.

O Atlético tem 42 pontos e provavelmente conseguirá o suficiente para permanecer na Série A. Mas se não cair este ano, não terá sido por falta de “esforço”.

O ano de 2020 não promete um elenco mais forte que o atual, o que exige que não se erre nas escolhas de comando e planejamento. Exige que se contrate com critério e não para agradar os bons amigos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Atleticano Chato

Sergio Sette Camara
Ruim Bosta
Domenico Bhering
Lasaro Cunha

EU NÃO SABIA QUE EMPILHAVAM BOSTA TÃO ALTO

Elder Jose de Alencar

Pior foi torcer para o Mengo vencer o Ceara para manter o Vovo la atras! Fim da picada, ai meu Galo, a que ponto estamos chegando!