Federação ucraniana diz que foi justo punir Taison por reação ao racismo

Shakhtar / Twitter

Shakhtar / Twitter

A suspensão de uma partida ao brasileiro Taison na Ucrânia por reagir a atos de racismo provocou indignação. Mesmo assim, a federação do país procurou nesta sexta-feira justificar a decisão.

Taison, do Shakhtar Donetsk, fez um gesto obsceno e chutou a bola na direção da torcida do Dynamo Kiev após ouvir os insultos, também dirigidos ao compatriota Dentinho. A partida permaneceu paralisada por alguns minutos, e o brasileiro recebeu cartão vermelho.

Para Igor Gryshchuk, responsável pelo comitê disciplinar da federação ucraniana, Taison tinha de ser responsabilizado pelo gesto porque “ele foi mostrado na televisão”.

“Entendemos que o jogador direcionou o gesto apenas para os torcedores que se manifestaram contra ele – mas aqueles que viram o jogo na TV, incluindo as crianças, podiam não tê-lo percebido da maneira adequada”, justificou Gryshchuk, em declaração reportada pela agência Reuters.

“De qualquer forma, este comportamento e esta reação mereceram um cartão vermelho, e na nossa opinião o árbitro fez a coisa certa ao aplicá-lo, na nossa opinião. Por isso o jogador tinha de ser responsabilizado”, disse.

A FIFPro, associação mundial dos futebolistas, protestou contra a decisão, mas ela foi mantida.

Gryshchuk afirmou ainda que a punição foi mais leve que o normal para gestos do tipo: “Normalmente são três jogos. Considerando todas as circunstâncias do caso, todos os atenuantes, a manifestação da FIFPro e o fato de ele ter sido provocado por cantos racistas, demos a menor sanção”.

O Dynamo Kiev foi punido com uma partida com portões fechados, e uma segunda em caso de reincidência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.