Faltam seis – por Mário Marra

Atlético / Twitter

Atlético / Twitter

Se o campeonato do Atlético tivesse sido como foram os primeiros 45 minutos do jogo contra o Goiás, o Galo não estaria passando o constrangimento que passa hoje. E olha que o placar ficou em branco, mas o desempenho, a aplicação e até mesmo o entusiasmo visto nas arquibancadas não foram comuns em toda a temporada. Foram 14 finalizações para o Galo e o Goiás não acertou o alvo.

A boa atuação no primeiro tempo ganha maior força quando percebemos que 20% da primeira etapa a bola ficou com o goleiro Tadeu. Michael, jogador que tem sido destaque do Goiás, ficou apenas 5% do tempo com a bola.

Contundido, Elias ficou no vestiário no intervalo e Marquinhos entrou. Luan passou a vir mais de trás. Os espaços para o meio do Goiás começaram a aparecer, mas o garoto, que tinha acabado de entrar, acertou um bom chute de fora da área e marcou. E chorou.

Marquinhos ainda obrigou Tadeu a fazer mais uma bela defesa. O tempo passava e o Galo passou a correr mais riscos. É difícil apontar os motivos, mas eles podem passar pela situação na tabela, por uma estratégia de jogo, por algum cansaço ou até mesmo por alguma imposição de jogo do Goiás.

Cleiton, que praticamente só observou a primeira etapa, foi obrigado a fazer algumas boas defesas. E, depois de muito tempo, o Atlético saiu de campo sem sofrer gol. Um pouco antes de o fim do jogo, em um chutão para frente, Bruninho ganhou a preferência para a finalização e marcou o segundo gol.

Não deixa de ser emblemático. O ano alvinegro foi de muitos equívocos e sofrimento. Em uma partida das mais importantes, com muita mobilização, dois meninos da base – que entraram na segunda etapa – saíram como heróis, ficaram emocionados e deram esperança.

Foram 22 finalizações do Galo, 13 certas. O Goiás bateu a gol sete vezes e acertou a meta em quatro oportunidades.

Ainda faltam pontos para a ansiedade dar espaço para a esperança, mas é interessante saber que é possível contar com Marquinhos, Bruninho e com um público de quase 40 mil pagantes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional

Comentários