Dybala, Cavani, Pastore… Relembre nomes históricos do aniversariante Palermo

Palermo

Palermo

Vivendo um dos momentos mais dramáticos de sua história, o Palermo completa nesta sexta-feira 119 anos de fundação. O clube italiano, atualmente na quarta divisão, contou em sua história recente com figuras importantes do futebol internacional.

Três vezes quinto colocado da Serie A neste século, o Palermo foi rebaixado em 2017 e estava na Serie B até ter sua inscrição negada por irregularidades financeiras, o que provocou um processo de falência. Refundado com novos donos, o clube recomeçou sua trajetória na Serie D, onde lidera seu grupo com 100% de aproveitamento.

Relembre algumas figuras históricas do clube.

Paulo Dybala

Adquirido do pequeno Instituto de Córdoba em 2012, aos 18 anos, Dybala jogou três temporadas na Sicília, marcando 21 gols. Em 2015 foi negociado com a Juventus por 32 milhões de euros mais 8 milhões de bônus.

Edinson Cavani

Maior artilheiro da história do Paris Saint-Germain, Cavani foi levado à Itália pelo Palermo, em janeiro de 2007, após se destacar pelo Danubio e pelo Uruguai no Sul-Americano sub-20. Em três anos e meio com a camisa “rosanero”, foram 37 gols marcados. Foi vendido para o Napoli, onde ficou por mais três anos.

Javier Pastore

Outro talento sul-americano descoberto pelo Palermo. Pastore tinha 20 anos quando chegou ao clube, comprado do Huracán, em 2009. Foi eleito o melhor jogador jovem do campeonato em 2010, superando nomes como Pato e Mario Balotelli. Jogou apenas duas temporadas na Serie A antes de ser negociado com o PSG. Em 2018, voltou à Itália para defender a Roma.

Luca Toni

O centroavante tem muito a agradecer o Palermo por seu título mundial com a Itália em 2006. Foi na Sicília que ele chegou à seleção, após marcar 30 gols na campanha do acesso na Serie B em 2003/04. Depois de fazer mais 21 gols na temporada 2004/05, foi vendido para a Fiorentina.

Fabio Grosso

Autor de um dos gols mais icônicos da história da Azzurra (contra a Alemanha, na semifinal da Copa de 2006), o lateral-esquerdo era jogador do Palermo na ocasião. Foi o auge de sua carreira. Após ser negociado com a Inter logo em seguida ao Mundial, sua carreira entrou em declínio. Tornou-se técnico depois de encerrar a carreira, em 2012, e hoje está sem clube.

Andrea Barzagli

Outro campeão mundial de 2006, Barzagli passou quatro temporadas no Palermo, entre 2004 e 2008. Jogou por três anos no Wolfsburg e chegou em 2011 à Juventus, onde estabeleceu com Bonucci e Chiellini uma das maiores defesas da história do futebol italiano.

Cristian Zaccardo

Parceiro de Barzagli na defesa do Palermo, Zaccardo é mais um integrante do último título da Itália. O lateral-direito permaneceu em atividade até este ano, quando decidiu se aposentar após defender times como o Hamrun Spartans, de Malta, e o Tre Fiori, de San Marino.

Fabrizio Miccoli

Depois de vestir as camisas de equipes como Juventus, Fiorentina e Benfica, o pequeno atacante chegou ao Palermo em 2007 para escrever seu nome na história do clube. Com 81 gols em seis temporadas, é o maior goleador dos “rosanero” em todos os tempos.

Fábio Simplício

O brasileiro revelado pelo São Paulo foi levado à Itália pelo Parma, mas foi no Palermo, entre 2006 e 2010, que viveu seus melhores anos na Serie A. Atuando como meia, fez 24 gols pelo clube. Perdeu espaço com a chegada de Pastore, mas ainda conseguiu um contrato com a Roma, onde jogou por mais dois anos.

Salvatore Sirigu

Após experiências por empréstimo, Sirigu foi lançado no Palermo em 2009 por uma lenda da posição como Walter Zenga. Ganhou a vaga do brasileiro Rubinho e se estabeleceu como um dos melhores da Serie A, a ponto de ser negociado com o PSG em 2011. Chegou a jogar na Copa de 2014 por causa de uma lesão de Gianluigi Buffon. Hoje no Torino, aos 32 anos, voltou a ser chamado pela seleção italiana e vive uma das melhores fases da carreira.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.